sexta-feira, outubro 10, 2008

o discurso da prepotência

No Corredor do Poder um so called socialista repete o discurso quase-oficialmente-oficioso do PS: são a favor mas votam contra porque não andam a reboque do Bloco de Esquerda.


Não consigo imaginar que haja alguém que entenda claramente este discurso em espiral, que não pela mera exibição e abuso do poder. A igualdade no acesso ao casamento civil é um assunto constitucional que implica mudar duas vírgulas no código civil e escrever "cônjuges" onde hoje se lê "marido e mulher". É um assunto de direitos cívicos. De evolução civilizacional. Eles sabem. Eles têm maioria absoluta. Mas votam contra porque não estava no programa —deles. Porque não andam a reboque —de ninguém. E para não andar a reboque é preciso arrear bem os machos de carga e não dar liberdade de voto, não vá escapar-lhes a ferradura para exercerem em pleno os seus mandatos de deputado.



Se isto não é prepotência, eu ando a precisar de comprar um dicionário.


Ainda não é desta, sabemos todos. Mas de qualquer modo, eu amanhã vou-me casar, e a Raquel é o meu marido.

7 comentários:

MPR disse...

Há um monopólio das ideias politicas, sociais, económicas, humanas correctas, e esse monopólio pertence ao partido socialista. Li hoje que no programa do próximo ano o PS também não vai colocar o acesso igual ao casamento civil, o que significa que, se ganharem, até 2013 não podemos contar com uma alteração na lei e isso é incompreensivel. Talvez tenham uma surpresa nas urnas...

JoaoLuc disse...

E usarão aliança? :D

MPR disse...

Vi-te agora na Sic Noticias e finalmente percebi o fim do teu post! Como acção é imaginativa, mas não conseguiam arranjar duas lésbicas?

espantaespiritos disse...

poder e pequenos poderes...

aqui está a razão do atraso deste país...

em tudo.

Manel disse...

:) M., claro que se conseguia arranjar duas lésbicas, como se arranjou dois gays. Mas isso nem foi relevante para a escolha. Eles não são companheiros um do outro, nós também não somos namoradas, foi um acto simbólico. E para efeitos de símbolo, acho que não deixa de ser relevante que duas hetero queiram dar a cara por uma luta que aparentemente, e só aparentemente, não lhes diz respeito directamente.


Não usaremos a aliança, mas usaremos a amizade. Não num dedo, mas no coração todo. Queres melhor lucro, JL? Ah... a malta adorou a tua mms, ainda estávamos todos à beira dos leões de São Bento. :)

polegar disse...

eheheh...

tens de ir ver o blog do espanta. ele passou-se com esta questão. acho que vais gostar! ;))

air disse...

Só muito aparentemente...