domingo, janeiro 06, 2008

sabe-se que se escreve mal...

... quando uma curta crónica de costumes, focada em arquétipos que se poderiam encontrar em qualquer casa portuguesa e com uma tentativa de risonha corrosão, é interpretada como um julgamento pessoal, um apontar de dedo, um desrespeito mal-intencionado, e ainda mais por pessoas de quem se gosta. Aqui deixo o meu pedido de desculpas, não por qualquer post ou opinião minha, mas por ter sido descuidada e permitido que houvesse espaço para essa má-interpretação. Gostava de escrever melhor, para que pudessem ver realmente as imagens que descrevo no que escrevo. Mas tem limites, a comunicação. Por vezes muito mais apertados do que esperamos. Novamente, peço que perdoem a minha notória incompetência. E que acreditem que nela não houve nem um pingo de sumo de limão.

3 comentários:

JL disse...

Ainda havemos de ir a Foz Côa juntos. :)

Manel disse...

Eu trouxe as botas de caminhar para o porto, e ando doida por dar-lhes uso. Deixa-me estrear e falamos... ;)

K. disse...

Escrever mal? Depois de teres aqui abaixo "as histórias dos outros que nos pertencem"?