quinta-feira, outubro 12, 2006

A tristeza de não ser dromedário



Neste país onde a tempestade de areia é perene - e ataca os olhos, os ouvidos, o cérebro e até o coração -, há dias como hoje, em que me sinto particularmente identificada com este melancólico cão.


Douz, as portas do deserto, 10 de Setembro de 2006

Mas por mais que doa, tenho gosto em tirar os olhos do chão.





Que fique bem claro que o país a que me refiro não é a Tunísia, mas Portugal, que lá vai conseguindo ser um bocadito melhor. Mas se se distrai muito...

2 comentários:

aldina disse...

Não posso deixar de manifestar a minha alegria com a manifestação de ontem, é de aproveitar estes escassos manifestos de consciência colectiva...

Até sempre!

Manel disse...

Sim... o mínimo que uma manifestação como a de ontem merece é uma manifestação de alegria. ;)