terça-feira, outubro 03, 2006

A triste verdade

Na célebre fórmula de Jorge de Sena, a alternativa está entre tentar salvar Portugal e salvar-se de Portugal. A primeira será a mais nobre, mas a segunda é a que dá mais vontade.


António Figueira, no Cinco Dias

10 comentários:

aldina disse...

O que me liga a Portugal faz-me crer que salvá-lo é querer salvar-me em coisas fundamentais para a minha vida e paar a de mais alguns (pelo menos!), contudo estamos sempre a tempo de nos mudarmos, esta é uma das minhas convicções prioritárias quer emocional quer intelectualmente, incertezas infinitas levam-nos longe quando temos as âncoras essenciais... o direito à liberdade e dignidade, por exemplo!

Até sempre

Manel disse...

Não podia estar mais de acordo, Aldina. E quando bate o desânimo, gosto de me lembrar do que alguém escreveu a tinta preta numa das esquinas da Calçada do Combro: o mundo está escuro, ilumina a tua parte. Eu faço o que posso. Tu fazes muito, com a tua música, a tua voz, a tua inteligência e honestidade. É um grande prazer "ver-te" por aqui. Volta sempre.

Anónimo disse...

O princípio de "roubar com parcimónia e indicação da fonte" não devia ser só sugerida a terceiros; devia ser praticada pelo próprio "Blue" - que simpaticamente até poderia fazer uma remissão para o artigo de onde retirou essa frase, que não está entre parêntesis, mas foi escrita por mim. Para utilisar a terminologia da casa, "'brigadinha".
António Figueira, www.5dias.net

Anónimo disse...

Desculpem o utilizar com ésse, as teclas são perigosamente vizinhas.
António Figueira

Anónimo disse...

Ó Manel - tu desculpa! Eu a dizer que andavas a roubar sem parcimónia, e tu com esse hiper-link ou hiper-texto ou lá o que é a remeter directamente para o nosso blogue! Aqui para nós, eu explico-te o meu problema: eu sou uma velha carcaça, de quando a internet ainda não tinha sido inventada, e aprendo muito devagar - mas já me explicaram como é que isto funciona, por isso aqui te apresento publicamente as minhas desculpas.
Antónío Figueira

Manel disse...

Sabes que depois de ter publicado a tua citação e a anterior, do Tempo dos Assassinos, realmente pensei que talvez devesse, como costumo aliás, escrever por baixo a fonte, para que se percebesse bem. Em vez disso apenas escrevi em itálico, substituindo as aspas, e tem o tal hiper-mega-super-extra, como diria aquela menina da telenovela, eheh, como tu, entretanto, compreendeste. Mas percebo o erro - realmente não é assim tão claro -, co12nfesso que me arrepiou a espinha, quando li o início do comentário, género, "queres ver que fiz merda sem dar por ela?". Olha, naquele dia deu-me para deixar ao leitor a vontade de ir ler, mas serei mais rigorosa daqui para a frente. Desculpas mais que aceites. E obrigada pela visita.

Manel disse...

O "12" no meio de "confesso" é obra do gremlin citado uns posts abaixo. :P

Anónimo disse...

Fixe.

Anónimo disse...

Decididamente, sou péssimo nisto: o "fixe" anterior é meu, e era suposto assinalar com simplicidade a nossa grande reconciliação - mas esqueci-me de assinar!!
ass: António Figueira (um novo visitante regular do Blue - porque gostei do resto).

Manel disse...

Paz, mano! ;)

Fico contente que voltes... eu por mim vou sempre que posso ao vosso cantinho, e já se sabe que estas coisas têm um gostinho especial quando são correspondidas.


Até já.