segunda-feira, fevereiro 12, 2007

É um tempo especial, este. Atrasado, mas especial. Ver, ontem no Altis, as lágrimas nos olhos de algumas mulheres e de alguns homens, os abraços, os minutos largos de aplausos, a belíssima declaração de Maria José Alves, a sensação de que se respira, de que há esperança de que Portugal não queira ficar orgulhosamente mal-acompanhado no fosso do obscurantismo, da repressão estatal, do desrespeito pelos direitos cívicos, tudo misturado com um cocktail pessoal de tosse de cão, anti-gripais e quejandos, foi um momento que hei-de recordar, que hei-de passar, que hei-de contar às filhas que espero ter e que nascerão num país que as respeitará, que se recusará a violentá-las como tantas mulheres foram violentadas até hoje.

Parabéns a todos. Hoje, pela primeira vez em muito tempo, tenho orgulho em ser portuguesa. Um orgulho com um atraso equivalente à minha idade, mas orgulho ainda assim.

4 comentários:

m disse...

Yessss!!!!!!!!
bjs
:)

sara disse...

:) ¡ahora sí!

Agora temos de continuar. Pelo menos o embalo já temos!!! ;)

max disse...

Sobretudo a sensação, infelizmente rara, de acordarmos num país um pouco melhor! Só por isso, valeu a pena!

Manel disse...

Podes crer... :)))