segunda-feira, setembro 22, 2008

equinócio de outono


Anjos, Setembro de 2008


É nos dias das mudanças que esta cidade me rouba mais o fôlego. Bom outono, gente!

13 comentários:

Carolina Reuss disse...

E roubava-me a mim, se aí pudesse estar. Mas o Porto, por agora, é o meu fado. Arre, com mil equinócios.

Manel disse...

:)

e há de voltar a ser o meu, não tarda...

Anónimo disse...

há uma bienal que teve o talento de resumir tudo isso no seu nome ... "Luzboa"... e é mesmo essa "boa luz" que dá algo de divino às côres da nossa cidade.
_wahid

Manel disse...

:) Lembro-me muito desse nome. Às vezes até me sai como acto falhado. Luzboa. Ainda por cima, soa bem.

Gosto em lê-lo por aqui, meu caro. ;)

Carolina Reuss disse...

Arghhhh...que raiva, como vos invejo e nem vos conheço. A luz do Porto é tão escura.

Manel disse...

:) pois é... mas também tem as suas belezas, e não são muitas, e não são poucas, não é?, bastantes. :)

Olha, graças a ti Carolina, sai post. E eu nem te conheço. :)

polegar disse...

castanhas!!

[ó pra mim a tentar não ficar deprimida]

Carolina Reuss disse...

Uau, que privilégio, que quase fico de lagrimita no olho.
O Porto tem, de facto, os seus encantos, são sítios de encher a alma. O facto de sermos uma cidade pequena, também, tem as suas vantagens e o trânsito é um paraíso, comparado com o vosso. É engraçado, como ainda ontem, tive esta "discussão" com uma actriz lisboeta, que veio ao Porto. E hoje, aqui, virtualmente, "discuto" o mesmo com outra actriz lisboeta. Ai as mulheres do teatro da capital que se apaixonam pela muy nobre sempre leal invicta e as mulheres da invicta que se apaixonam pela capital. Mesmo que seja só de passagem.

Manel disse...

E o que é que não é de passagem? ;) E o teatro é-o, por excelência...

Carolina Reuss disse...

E como eu gostava, principalmente no teatro, que às vezes as coisas durassem mais um minutinho que fosse...

Manel disse...

:) Podes crer...

aroma a amora disse...

Estava escandaloso este céu!

Manel disse...

:) Continuo a achar que não há melhor palavra. É escandaloso, de tão impossível de ignorar. Foi uma rica noite, por acaso e por nós e os nossos trolhas e pelo caril e pelo vodka e pelo estuque e pelos armários e pelos risos e pelos sms's e até pelos teus olhinhos de sono e beicinho de "quero ir enrolar-me na camiiinha", já a noite ia bem mais escura que isto, já a noite era o anúncio da manhã seguinte.


Sabes que ando sem guito para ligar. O beijo fica aqui. :)