sexta-feira, abril 13, 2007

A banana de deus, marca reg.

Como prometido, aqui está o porquê da existência de deus da perspectiva de um dos arautos desta vaga de IDiotice. Vejam e aproveitem bem. Coisas destas, assim, reais e ao vivo, são experiências inolvidáveis. No fim, não se esqueçam de fechar a boca. Não vale a pena deslocar esses maxilares. Ei-lo, o pesadelo ateísta. Leides end gentelméns, the banaaana:



O que eu não percebo é como é que ele não percebe que está a dizer, quase concretamente, que o homem descende realmente do macaco, ou seja, que houve alguma evolução, por pouca que tenha sido, e que o nosso fabricante teve graves falhas de planeamento que nós temos tentado colmatar, nomeadamente pelo recurso à depilação e aos cremes de barbear. Porque, caramba, o seu a seu dono, se há deveras um animal para quem a banana foi feita expressamente, esse animal é necessariamente o macaco. Qual das espécies, as mais próximas ou as mais distantes de nós, evolutivamente falando, não é para aqui chamado; palpita-me que para estes senhores isso não é importante, os homens são os homens, os macacos são os macacos, zás-pás, vira-milho, e como o macaco gosta de banana, uhuuuu.

Claro que a minha mente perversa começou também a vaguear pela interrogação de para que outros pontos do corpo humano, orifícios e não só, poderá ter sido a banana concebida. É que assim de repente... quer dizer, há mais possibilidades. Se isto não está na Bíblia, no Corão ou no Talmude, como poderemos ter a certeza de que percebemos bem qual o uso que deus pretendia que déssemos à banana? E será o mesmo para todos? Procedimento chapa cinco, seja banana da Madeira, seja a chiquita, seja a do quintal das traseiras? Isto tem pano para mangas, afinal... filosoficamente falando, quer dizer.


E a propósito deste meu post de há umas semanas, acho uma certa graça ao apelido do senhor... Comfort. Bem a propósito. Eu não compreendo este tipo de conforto, mas enfim, se todos gostássemos de bananas, que seria dos pêssegos?...

7 comentários:

max disse...

Manel, peço imensas desculpas por este off topic mas gostaria de sugerir a adesão do Blue! à campanha que se vai levando a cabo lá no Devaneios, por ideia dos seus comentadores:)

MPR disse...

OK! É desta! Estou convencido! Eu no fundo no fundo sempre soube... por isso é que sempre gostei de banana com queijo! E, já que Deus não se engana, acho que é justo chamar herege a qualquer pessoa que goste da ananás. É que, sinceramente, aquilo não dá jeito nenhum!

katraponga disse...

Ridículo, no mínimo... :D

Raquel Alão disse...

Estúpidos há-os em todo o lado. O Criacionismo, porque se advoga de ser uma teoria alternativa ao evolucionismo, é deveras uma estupidez. O que me chateia é ouvir e ler tantas vezes o nome de Deus como justificação para uma cretinice. Quem acredita que a fé se situa no plano da explicação científica e filosófica, anda a precisar de uma boa revisão de conceitos. A fé está sempre no plano do significado, do sentido da nossa existência. A "teoria da banana" fala por si e não percebo como podemos continuar a perder tempo com isto... Nem como é que alguém com um par de neurónios pode querer fazer disto um currículo educativo alternativo/paralelo. É simplesmente estúpido. :-(

Raquel Alão disse...

Ah! E acrescentaria ainda: isto não é o pesadelo ateista! :-) Isto é a comédia ateísta e o pesadelo deísta.


Se me conseguissem convencer de que Deus é um qualquer demiúrgo eu filiava-me já no ateísmo... ;-)

Manel disse...

Realmente, és capaz de ter razão. A tua inversão da nomenclatura faz todo o sentido. :P :)

João Barbosa disse...

ahahahahahahahah! ganda vídeo! o ar de tótó-nhó-nhó do artolas é lindo! Só a pobre da banana é que não tem culpa da telegenia... É lindo!