quinta-feira, abril 12, 2007

Nota de pé de página

Isto é uma beleza de texto. E que bando de sentimentalões se reuniu na caixa de comentários, até refresca a alma... Permito-me apenas discordar do K. numa coisa. Não é ao contrário das outras coisas materiais que os livros têm o valor que lhes dá quem os avalia. Tirando o pão para a boca e o tecto sobre a cabeça, tudo o resto tem o valor que lhe dermos. Estou certa de que em algum livro muito antigo isto estará também escrito. E o contrário. E mais ou menos. Como a vida, têm espaço para muito, têm espaço para tudo de nós e mais aquilo que não sabemos que também somos. São um tesouro, como nos contos de piratas, mais valioso até. E textos assim também merecem um baú só para si.

1 comentário:

katraponga disse...

E que melhor baú do que este azul (Blue!) onde tantos outros tesouros tens guardado?


Obrigado pelas tuas palavras, um beijo muito grande. Diogo.