terça-feira, março 06, 2007

26 Febbraio, Piazza della Rotonda


Michelangelo Merisi, dito il Caravaggio, La vocazione di San Matteo
Igreja de São Luís dos Franceses, Roma
[a foto não é minha e a sensação é pessoal e intransmissível, infelizmente... ou naturalmente]
clicar na imagem para ampliar


A cidade entre mil mundos. A cidade que me comove como se minha fosse, ou porque minha não é me faz chorar.
Parto hoje para norte. Chego à janela e a despedida anuncia-se doce no som de um saxofone no Largo della Torre Argentina, o largo do teatro que foi nosso uma vez mais, o bella ciao, ciao, ciao...
Uma última e solitária hora em San Luigi dei Francesi, bebendo luz frente à vocação de Mateus, o momento antes de se erguer da mesa da usura, à inspiração de Mateus, o momento antes da escrita do evangelho, ao martírio de Mateus, o momento depois do trespasse da espada. Michelangelo Merisi, detto il Caravaggio. Descobriu-se esta semana que afinal nasceu em Milão. Talvez amanhã se descubra que nasceu em toda a parte, da mesma forma que me faz nascer e renascer novamente em São Luís dos Franceses. Não posso escrever mais. Há pulsações que não se descrevem.
A pulsação de Roma, não se descreve. Demasiado divina. Demasiado pagã. Demasiado humana. Tudo em demasia. Riqueza e miséria em demasia. História, espírito, génio em demasia. Beleza em demasia.


San Luigi dei Francesi, Roma
23 de Fevereiro de 2007

2 comentários:

patas disse...

até me deu um nó na garganta. é bonito ver que mais alguém apreende o encanto da cidade para lá da pelicula onde navegam os turistas, para lá do amontoado de pedras atrás um do outro, do zumbido das lambretas e dos rituais de acasalamento dos machos e fêmeas latinas.

comoveste-me, pá.

Manel disse...

Isso tudo são pequenas cenas do poço de energia que é Roma, há muito mais naquela cidade. E nem sabes o que me iluminou por dentro ler que mais alguém percebe do que falo, que estou acompanhada nesta paixão avassaladora, que é individual mas não exige monogamia. ;) É a mais bela, a mais quente das cidades.



[Chiça, que não me calo...]