quarta-feira, setembro 19, 2007

divergências significantes: a erudição

A late night shop a que por aqui se recorre quando alguém se esqueceu do vinhito ou do tabaco ou de meio quilo de quiabos é, como quase tudo no bairro baptizado "das Colónias", uma homenagem viva ao multiculturalismo. À simpática brasileira que me atende, peço, para lá do tinto duriense que trago para pagar, um pacote de Amber Leaf. Ela repete, enquanto estica o braço até à prateleira, "um Amber Laife?". Engulo o riso malandro que me faz cócegas no céu da boca. Filtros finos, não tem? Ela confirma que não, e eu atalho imediatamente, "então é só o vinho e o Amber Leaf." Ela repete novamente, "com cerrteza, o vinho e um Amber Laife". De repente dei-me conta de que tinha perante mim uma Susaninha, nem mais nem menos, e senti-me esmagada por tal evidência. Pois que a pioneira frase desta corrente linguística nasceu da sua boca, desenhada pela mão de Quino: se se escreve Freud e se lê Froid, então o verdadeiro erudito deveria dizer Fruá. Deixei a loja com a bem-disposta certeza de que as repetições se destinavam a educar-me, e que por dentro a minha interlocutora ficara a lamentar a minha falta de cultura internacional.

O que faz com que tenha ouvido com uma nova abordagem a forma como a erudita Paula Moura Pinheiro pronunciou o nome de Beethoven num recentíssimo Câmara Clara. Agora já sei o que hei-de escrever ao provedor: PMP [em económicas iniciais, como agora se faz nos jornais quando se fala de pessoas importantes] falhou escandalosamente, e logo num programa cultural; é que se se escreve Beethoven e se lê Biitôven, então o verdadeiro erudito deveria dizer Baitôven.

7 comentários:

Rodrigues disse...

:D

Tó Gomes disse...

Próxima pedes Águia...

Manel disse...

Iac! :p Esse é aquele tabaco que não tem relação qualidade-preço, é barato e pronto, falta-lhe a primeira parte do binómio. ;)

Raquel Alão disse...

Lol! :-)

polegar disse...

samson branco.
fácil de pronunciar, difícil de encontrar fora de tabacarias de centro comercial... é a vidinha. ;)

Anónimo disse...

Acontece exactamente o mesmo quando peço "duzentos gramas de fiambre" na mercearia e a empregada repete/corrige "duzentas gramas"!!!

Manel disse...

Eheheh... Essa é um clássico.