sábado, junho 10, 2006

Eu ouvi...

... um miúdo a levar uma galheta, em directo na Antena 1. O padre Acílio garante ao jornalista que não há agressões na Casa do Gaiato. Um leve gaguejar que indicia um desvio do foco de concentração, um som seco que o microfone ainda capta, e a frase continua, até que o jornalista atalhe, depois de meia dúzia de segundos de silenciosa estupefacção, "mas o senhor acabou de dar uma estalada na cara a um miúdo de seis anos, à minha frente!".

A criança, pasme-se, rondava o estaminé de máquinas e microfones onde o santo educador dava a sua entrevista. De facto, que futuro marginal e pecador esperaria este fedelho se não fosse prontamente posto no seu lugar? Que magnífico cristão se perderia, não fosse a pedagogia do senhor Acílio, por padre conhecido, e seus discípulos da obra do padre Américo, pendões da caridade dessa larga multinacional do amor que dá pelo nome de ICAR? É nestas alturas que dou graças ao sEnhor pela não legalização da adopção por casais homossexuais. É o que salva estes meninos, que crescerão bem e catolicamente, conhecerão a culpa e saberão que quem se porta mal merece castigo.