sábado, outubro 31, 2009

too much to say.



faz dois anos por esta altura. lembro-me de quase tudo, minuto a minuto. mas guardo as melhores luzes que alguma vez vi num concerto. e umas pernas que arrumam a Tina Turner a um canto. hoje, é a canção da noite, honras feitas ao maestro JPS, leia-se JotaPêEsse, que não há maquineta que seja mãe para ele.

quarta-feira, outubro 28, 2009

all our oddities.





feita num feixe. estafada. cheia de nervos e estrica. e feliz. é, parece que é cíclico.

segunda-feira, outubro 26, 2009

it spins




para o K., com um beijo.

domingo, outubro 25, 2009

sequenza

releitura com menos palavras — eu também (reedição a vinte meses)




Often in a scene, the room and the light together signify a mood. So even if the room isn't perfect, you can work it with the light and get it to feel correct, so that it has the mood that came with the original idea. The light can make all the difference in a film, even in a character. I love seeing people come out of darkness.


David Lynch, Catching the big fish, Jeremy P.Tarcher/Penguin, 2007

sábado, outubro 24, 2009

entre nósoutrxs

semana cortada em duas, como a cabeça. dois mundos em nada similares mas que se interseccionam sempre, como sempre que em texturas diferentes se procura uma verdade. ou várias. a semana perfeita para adoecer, portanto, para ter de gerir fôlegos e horas de sono, para encaixar rossios em betesgas hora após hora, comprimido após comprimido. há vidas mais fáceis, mas... o que vale é que estou entre nósoutrxs e entre nósoutrxs está-se muito bem. alem de que amanhã muda a hora. e muda para melhor.

pretérito perfeito em espelho

esta noite sonhei na repetição.
era o fundador. era a estação. a luz um pouco diferente, mas ainda demasiado contente de si.
demasiado insegura.
pediste o quarto.
disseste timidez.
tocaste devagar.
deixaste tudo fechado, disseste que era para respirar.
caminhaste até ao carril na manhã descorada,
cantando que o teu corpo te encerra.
que vives numa casa de cardos.
que o espectáculo é lento como tem de ser o turbilhão.

e eu, longe do corpo, assisti.
só havia comboios, desta vez, não procuravas autocarros.
mas continuavas a temer a viagem
como se o medo fosse o tudo.
não sei se te sorri. se te lamentei.
se me lamentei.


terça-feira, outubro 20, 2009

qué niebla, no se ve nada.




tenho de escrever escrever escrever. agarrar os relâmpagos. como é que se agarra um relâmpago? sem queimar a mão, quer dizer. estão cá os feixes todos, reflectem em alta velocidade as paredes do labirinto, inscrevem gritos nas paredes, slogans, frases de combate, e deixam espalhado nos corredores tudo o que escorrega das paredes, tudo o que na sua essência não se grava. ou melhor, tudo o que, no seu avanço, se tecnologiza e passa a registar-se por gravação molecular. está lá, linha por linha, palavra por palavra. só não se lê. o que faz com que apenas a sua energia dispersa nos corredores pareça sinal da sua existência, o que faz crer que se aspergiu, se desmaterializou. engano. nada disso. moleculou-se. insidiou-se. mas está lá. só tem de ser sugado outra vez. e depois há-de morder os relâmpagos.

segunda-feira, outubro 19, 2009

imagens que não são minhas.


fotografias de António Vieira

meio século de diferença — ou a metáfora funda da metempsicose.

You'll be a baby again — a bald, redfaced little animal, and then you'll go through it all again. There'll be millions of others like you — all with their mouths open, squalling for food. And the when you get a little older you'll begin to learn things — and you'll learn all the wrong things and learn them all in the wrong way. You'll eat the wrong food and wear the wrong clothes, and you'll live in swarming dens where there's no light and no air! You'll learn to be a liar and a bully and a braggart and a coward and a sneak. You'll learn to fear the sunlight and to hate beauty. By that time you'll be ready for school. There they'll tell you the truth about a great many things that you don't give a damn about, and they'll tell you lies about all the things you ought to know — and about all the things you want to know they'll tell you nothing at all. When you get through you'll be equiped for your life work. You'll be ready to take a job.

Elmer Rice, The Adding Machine, Scene VIII (1923)




John Lennon/Plastic Ono Band, Working Class Hero (1970)


... e de cada vez que oiço um, penso no outro.

e assim [pois, diz que estreei...]


fotografia [de ensaio] de Catarina V.


Até fim de Novembro, pessoal, de terça a domingo no Teatro da Trindade, a liberdade é onde um homem não quiser.



Máquina de Somar

Baseado na peça “Adding Machine” de Elmer Rice
Composição Musical de Joshua Schmidt Libretto de Jason Loewith e Joshua Schmidt
Encenação de Fernanda Lapa Direcção Musical de João Paulo Soares Cenografia e Figurinos de António Lagarto Coreografia de Marta Lapa Desenho de Luz de Paulo Sabino Apoio vocal de Rui Baeta
Com Henrique Feist, Luís Madureira, Joana Manuel, Luísa Brandão, Luís Gaspar, Sérgio Lucas, Bruno Cochat, Andreia Ventura, Joana Campelo
Músicos ao vivo: Francisco Cardoso, Daniel Hewson, João Paulo Soares

o dezassete foi assim.




STOP Patologização Trans 2012




somos todxs pessoas a quem só a ignorância deve meter medo.

quarta-feira, outubro 14, 2009

este sábado, 17 de outubro, no Camões, em Lisboa




Pelo direito a falar por si mesmo, pelo direito a não ser binário e ainda assim ser inteiro. Mais informações AQUI.




*
17th of October 2009: Actions in more than 35 cities around the world:
Alicante (Estado Español), Ankara (Turquía) , Archena (Estado Español), Barcelona (Països Catalans), Berlín (Alemania), Bilbao (Euskal Herria), Bogotá (Colombia), Bruselas (Bélgica), Buenos Aires (Argentina), Campinas (Brasil), Caracas (Venezuela), Ciudad de México (México), Corunha (Galiza), Donosti (Euskal Herria), Gasteiz (Euskal Herria), Granada(Estado Español), Jerusalem (Israel), Hong-Kong (China), Jaén (Estado Español) Las Palmas de Gran Canaria (Estado Español), Lille (Francia), Lima (Perú), Lisboa (Portugal), Londres (Reino Unido), Madrid (Estado Español), Managua (Nicaragua),Montpellier (France), Montreal (Quebec), Paris (France), Quito (Ecuador), Sevilla (Estado Español), San Francisco (California), Santiago de Cali (Colombia), Santiago de Chile (Chile), Santiago de Compostela(Galiza),Sao Paulo (Brasil), Valencia (País Valencià), Zaragoza(Estado Español).

da partilha

Liberdade é pouco. O que eu desejo ainda não tem nome.

Clarice Lispector

terça-feira, outubro 13, 2009

género: imbecil [para a minha Raquel]

que outra classificação se pode dar a uma jornalista [da TVI] que ao falar das reformas antecipadas refere as profissões de desgaste rápido, como "bailarinAs, bombeiros", etc etc? estou aqui a pensar que era muito mais giro dizer bailarinOs e bombeirAs. sobretudo porque não costumo andar a apalpar os genitais dos amigos, a não ser que eles me peçam, mas assim de repente conheço uma catrefada de bailarinAs que eu era capaz de jurar que são homens.



... santa paciência.

[gostas de ballet? então és feminina. percebes de fichas triplas, então és um camionista de certeza.]

às vezes não me lembro bem de como é que eu era antes de algumas coisas.


You Woke Me Up! - Andrew Bird

segunda-feira, outubro 12, 2009

a lanterna

quando me deixo entrar, perco-me. quando me afasto vejo tudo tão transparente como uma pupila. e isso tranquiliza-me. mas a tranquilidade faz-me voltar a entrar sem que perceba como. e perco-me novamente. e eu sempre gostei de andar sem bússola, de ao volante pôr o nariz de fora para confirmar de que lado é o mar, mas aqui não me quero perder mais. os limos são venenosos. as camarinhas também. a sombra espalhou-se demasiado. e fico eu com as mãos molhadas e os olhos secos, a tremer no escuro, a render-me ao frio. é muito. quero uma lanterna.

VOTO INÚTIL RULES!

E os meus pêsames ao Porto e a quem está a aturar a guincharia da Marlene a esta hora [sim, a camioneta de campanha do Rio tem um nome e é Marlene].


Ah... qualquer rumor de que eu tenha nascido em Oeiras é calúnia.

sábado, outubro 03, 2009

sexta-feira, outubro 02, 2009

passos em três




— um ternário é um ciclo, um moto perpetuo.