domingo, dezembro 10, 2006

Pastelaria Paulista

A Paulista é paragem mais ou menos obrigatória para quem trabalha no pequeno grande teatro do outro lado da Augusto Rosa. Uma boa sopa que disfarça o almoço que não houve, os croissants e o pão-de-ló que salvam as tardes de sapa quando a dona Júlia faz folga e o bar do pessoal é apenas uma sala marmórea e fria. Ao meu lado, no balcão, um homem tisnado, de idade indefinida, nem muito sujo nem muito lavado, nitidamente um cliente habitual, personagem natural do mundo particular e heterogéneo que é a Praça da Batalha. Com tom familiar, dirige-se à empregada.
- Como é que se chama?
- O quê - brinca ela, castiça -, como é que eu me chamo?
- Não, o bolo.
- Ah, o bolo chama-se "delícia".
- Então era uma delícia, menina Eva, que o seu nome sei-o de trás para a frente.
- Ah sim? E como é o meu nome de trás para a frente?
- Ave!
Os risos da empregada, que se empertiga para a resposta; e eu aguardando o inevitável "Avé, César!". Mas ela troca-me as voltas ao riso:
- Avre-te, sésamo! -, diz, sorridente.
E ele logo, muito solícito, a corrige:
- Ave-te, Eva!

9 comentários:

aroma a amora disse...

Há fenómenos destes que são geniais!
Que delícia...o texto, entenda-se! Que a menina Eva nunca provei!

katraponga disse...

A pastelaria Paulista... há tantos anos...


fizeste-me lembrar de pessoas que já nem me lembrava que existiam, se é que ainda existem. Um dia sim, seguramente. E estivémos juntos na pastelaria Paulista.


Obrigado pela memória, minha querida amiga, é um gosto ler-te.

Manel disse...

:)

JL disse...

Confeitaria!!! Qual pastelaria, qual carapuça. Ainda estás "amoirada".
:)

Manel disse...

:p eu SOU amoirada; é uma das razões porque gosto tanto do Porto. ;)

pikinina disse...

mt giro este kuadro do kuotidiano k tu nos pintaste, parexe k tou mxm a ver o cáfé,(perdão pastelaria, perdão confeitaria lol), a menina Eva e o cliente "nem muito sujo nem muito lavado" e d idd indefinida...

Rodrigues disse...

Que lindo, pá! :)

Pedro Veiga disse...

Isto é mesmo o Porto! Também presenciei situações parecidas (como esta que tão bem relatas!) há muitos anos atrás quando frequentava o 1º ano do curso de Geologia na Faculdade de Ciências.
É uma delícia!

aldina disse...

Que não soja por isso, ouvi eu há pouco na loja "Terra Pura" :-D

Conheço alguém que é barra neste tipo de ptrocadilhos! Sou fã!

Até sempre